Seja Bem-Vindo a SB Ortoimplante

Implante dentário: o que deve ser levado em consideração para fazer?

implante dentário

Implante dentário: o que deve ser levado em consideração para fazer?

O implante dentário é um tratamento que tem se popularizado em função dos benefícios que oferece. Ele promove a reabilitação oral de quem, por algum motivo, perdeu um dente ou mais, readequando a funcionalidade das arcadas dentárias.

Embora a maioria das pessoas já tenha ouvido falar nesse tipo de prótese dentária, nem todas sabem exatamente como o implante dentário é feito, como ele funciona, em quais casos é recomendado ou como escolher um bom profissional com quem fazer o tratamento.

Para que você conheça melhor essa opção de substituição de dentes faltosos, preparamos este post em que apresentamos os principais aspectos dos implantes. Ficou interessado? Então, continue lendo e confira detalhes importantes sobre esse tratamento que ajuda a elevar a autoestima e valorizar o sorriso!

O que é um implante dentário?

implante dentário é um procedimento odontológico inovador que tem o objetivo de substituir um ou mais dentes perdidos. Mais eficiente do que outros métodos, ele garante ao paciente total reabilitação de suas funções bucais, que incluem mastigação, fonética e estética.

perda dos dentes pode ser causada por problemas de saúde como periodontite e cárie em estágio avançado, também por traumas que tenham afetado a raiz ou a estrutura óssea da pessoa. Todas essas perdas podem ser solucionadas com implantes e, por isso, o procedimento se tornou muito popular nos consultórios odontológicos.

Os implantes dentários são compostos por duas peças: o pino e a prótese. Os pinos — feitos de titânio — são acoplados ao osso logo abaixo da gengiva, substituem a raiz do dente e servem de base para a prótese que virá em seguida. O paciente precisa passar por uma cirurgia para que eles sejam colocados. Já a prótese é a parte do implante que tem o formato dos dentes.

Como esse tratamento é realizado?

A colocação de um implante dentário é feita por meio de procedimento cirúrgico, porque é preciso fixar o pino (que é o implante em si) no osso alveolar, que, como dito, localiza-se abaixo da gengiva. Mas não se resume a isso, porque são necessárias algumas etapas para garantir o sucesso do tratamento. Veja cada uma a seguir.

Avaliação

Na etapa de avaliação, o dentista examinará o paciente e suas necessidades, se o indivíduo está com a saúde bucal equilibrada e se não há nenhuma restrição para realizar o implante.

Ele solicitará exames para verificar a quantidade de osso disponível para fixar o pino, descobrirá a densidade óssea do paciente e observará se não há nenhum problema nos tecidos periodontais. Essa etapa é essencial para conhecer as características do paciente e planejar o tratamento.

Intervenções pré-operatórias

Essa etapa apenas é necessária quando o paciente apresenta alguma condição que impede a realização da cirurgia de imediato. Esse é o caso de quadros como cáries, gengivite, periodontite ou perda óssea.

Ao identificar problemas como esses, o dentista trata antes o paciente para equilibrar sua saúde bucal e obter uma boa base de fixação. A perda óssea é um pouco mais complexa, porque exige a realização de um enxerto antes da cirurgia de implante.

Planejamento

A fase de planejamento é aquela em que é o especialista estuda a anatomia do paciente, suas necessidades e as características de seus dentes. Ele faz moldes da arcada dentária, imprime guias cirúrgicos e realiza outros procedimentos para orientar o tratamento.

Nesse momento, também define como será a aparência final do sorriso e modela as próteses. São determinados aspectos como tamanho, formato e cor para que o novo dente seja idêntico aos naturais, a fim de alcançar resultados funcionais e estéticos com a maior qualidade possível.

Cirurgia

Depois de toda a preparação pré-operatória, chega o momento da colocação do implante. Essa é a etapa cirúrgica do tratamento, que é realizada no consultório com anestesia local. Não é preciso internação hospitalar e, terminado o procedimento, o paciente pode voltar para casa.

Para fixar o implante, o dentista faz uma abertura na gengiva para visualizar o osso. Com o auxílio de brocas cirúrgicas específicas, ele perfura o tecido ósseo para fazer o encaixe do pino. Depois que é posicionado, a gengiva é suturada para aguardar a osseointegração.

Caso seja feito o implante com carga imediata, do qual falaremos mais tarde, o paciente já sai do consultório com a arcada completa — uma prótese provisória ou definitiva é colocada imediatamente e permanece ali durante a osseointegração.

Osseointegração

Essa é uma etapa muito importante do tratamento e que determina o seu sucesso ou não. Depois que o implante é posicionado, para que ele fique fixo no osso é preciso que esse tecido o envolva a fim de que passe a integrar o organismo.

Sendo assim, quanto mais estático o pino estiver, melhores serão os resultados. Então, o paciente precisa adotar vários cuidados para evitar movimentações. Além disso, é essencial seguir as recomendações pós-operatórias do especialista para garantir a recuperação dos tecidos e evitar inflamações ou infecções, que impedem a osseointegração.

São necessários de 3 a 6 meses para que as células ósseas se reproduzam e integrem o implante. Quando o processo acontece sem problemas, ele fica totalmente preso, como uma raiz natural; então, é possível colocar a prótese definitiva para que o paciente complete seu sorriso.

Fixação da prótese

Depois da osseointegração, o paciente deve voltar ao consultório do dentista para finalizar o tratamento. Essa é a etapa de fixação da prótese. Será preciso fazer um pequeno corte na gengiva para expor o implante e possibilitar o encaixe do dente.

O especialista prepara o local acrescentando uma peça chamada de pré-prótese e, sobre ela, fixa a coroa, ou seja, o dente artificial. Ele foi confeccionado anteriormente, especificamente para aquele paciente, por isso, preenche perfeitamente o espaço e substitui com sucesso o dente perdido.

A partir daqui o tratamento está finalizado e o paciente apenas deverá retornar ao consultório conforme indicação do especialista, seja para observar as condições do implante ou realizar consultas de rotina, a fim de prevenir problemas bucais.

Quais são os tipos de implantes?

A estrutura básica do implante é esta: uma prótese dentária sobre um pino de titânio. Embora pareça simples, existem várias formas de realizar a reposição dos dentes para atender a todos os casos em suas singularidades. Confira os principais tipos de implante dentário existentes no mercado atual!

Powered by Rock Convert

Implante osseointegrado

Esse tratamento é indicado para casos de perda de um ou alguns pares de dentes. Nesses casos, o procedimento mais popular antes do surgimento dos implantes dentários era a ponte fixa. Embora ainda possa ser realizada, está perdendo espaço devido à maior eficácia do novo tratamento.

No implante osseointegrado, a coroa — prótese feita em cerâmica — é parafusada ao pino de titânio pelo cirurgião-dentista. Ela não é removível, entretanto, o material utilizado é de ótima qualidade e pode durar a vida toda.

Vale ressaltar que, nesse caso, após o implante ser acoplado ao osso do paciente, deve-se aguardar cerca de 3 a 6 meses. Como mostramos, para que a estrutura óssea da pessoa integre as peças ao organismo e a prótese seja fixada sem problemas.

Prótese total sobre implantes (protocolo)

A prótese total protocolo é a melhor opção para os casos em que o paciente perdeu todos os dentes, seja da arcada inferior ou da superior. Diferente do primeiro tipo, ela cobre toda a arcada e é única, afinal, aplicar um dente por vez seria inviável e muito caro.

Podemos dizer que a prótese protocolo é uma dentadura que se mantém fixa no osso do paciente. Diferentemente da dentadura convencional, ela deixa o céu da boca livre, porque sua estrutura e composta apenas pelos dentes e se encaixa sobre alguns implantes.

São aplicados de quatro a oito implantes para servirem como base para a prótese. Ou seja, confecciona-se a arcada dentária completa com os dentes ligados entre si, mas apenas alguns deles têm o encaixe para se prenderem em seus respectivos implantes.

Eles também são osseointegrados e não podem ser removidos, por isso, essa é uma opção melhor do que as dentaduras convencionais, que não dão segurança para o paciente, limitando suas funções mastigatórias. Já o paciente que realiza o implante protocolo consegue recuperar até 85% do seu potencial de mastigação.

Overdenture

Também é uma espécie de prótese total fixa sobre implantes, mas a diferença entre esse tipo e a protocolo é que a primeira pode ser removida. A overdenture é colocada sobre 2 ou 4 pinos, bem menos que o total de implantes utilizados na protocolo.

Ela pode ser removida devido à existência de um dispositivo chamado “botões de encaixe e precisão”, que são instalados na parte de dentro da prótese total. Esses botões permitem a fixação nos pinos de titânio, assim como a sua soltura.

Sua principal vantagem é o fato de que o paciente pode retirá-la para fazer a higienização. Além disso, o investimento nesse tipo de implante é menor em comparação com a protocolo, o que traz uma opção a mais para substituição de todos os dentes.

Carga imediata

Embora todos os pacientes desejem sair do consultório do dentista com o sorriso completo, não são todos que podem se beneficiar do implante com carga imediata. Esse tipo é indicado para poucos casos em que é possível colocar a prótese no mesmo dia da cirurgia de implantação do pino.

Todas as circunstâncias precisam estar favoráveis para que esse procedimento seja viável. Ele pode ser arriscado em alguns casos, já que existe a possibilidade de acontecer sobrecarga no implante e não ocorrer a osseointegração.

Na carga imediata, o cirurgião-dentista, imediatamente depois de fixar o pino, coloca uma prótese provisória ou até mesmo a definitiva no lugar do dente faltoso. Não é preciso esperar o implante osseointegrar e o tratamento praticamente finaliza no mesmo dia.

Quem pode colocar um implante?

O implante dentário é indicado para todas as pessoas que perderam um ou mais dentes, sem limite de quantidade para substituir. Afinal, como você viu, é possível tratar até mesmo quem perdeu todos os dentes, pois há tipos de implantes indicados para esse perfil de paciente.

Também não importa o que o ocasionou a perda. Mesmo que haja algum dano ao osso, pode-se trabalhar a base para que ela tenha boa qualidade e viabilize a implantação do pino. Mas isso não significa que todos, sem exceção, possam ser tratados assim.

Existem casos em que o implante de fato não é recomendado. Isso acontece em pacientes com problemas ósseos em estágios mais graves, como a osteoporose. Diabéticos não tratados também podem ter complicações, bem como hipertensos e cardíacos.

Esse tratamento também não é indicado para crianças e adolescentes em fase de crescimento, porque haverá mudanças em sua estrutura óssea, o que poderia trazer complicações para o implante e o restante da arcada dentária.

De toda forma, apenas um profissional pode avaliar cada caso e definir a viabilidade ou não do tratamento. Afinal, para alguns pacientes, é possível adotar medidas prévias que possibilitem o procedimento posteriormente. Sendo assim, é essencial conversar com um especialista no assunto.

Qual o especialista mais indicado para realizar o implante dentário?

Assim como a Medicina, a Odontologia é dividida em várias especialidades. Desse modo, os profissionais indicados para os casos de implantes são aqueles que têm um estudo mais aprofundado no assunto, como o especialista em prótese dentária e o implantodontista.

Isso significa que talvez  o seu dentista de confiança não seja a pessoa mais indicada para fazer um implante, se ele não for especializado na área. O recomendado é que você sempre peça a opinião de mais de um profissional sobre o seu caso, assim não há o risco de fazer um procedimento sem a indicação correta e desnecessário em sua boca.

Outra dica importante é que pesquisar sobre a reputação do profissional, bem como a da clínica em que ele atua. Antes de se submeter a qualquer procedimento, tenha uma conversa esclarecedora para que ele possa tirar todas as dúvidas que ainda restem.

O implante dentário é um dos procedimentos mais bem-vistos dentro do mundo da Odontologia, sendo uma excelente opção reabilitadora. Se você acredita que pode ser uma boa opção em seu caso, procure um bom cirurgião-dentista especialista em implantes. Assim, ele fará uma avaliação a fim de recomendar os melhores tratamentos para o seu sorriso.

Quer aprender mais sobre implantes dentários? Então, entre em contato conosco e converse com nossos especialistas para saber se esse tratamento é o ideal para você!

Compartilhar:

Beatriz Senne de B. Novais

Beatriz Senne de B. Novais

Autora do Blog da SB ortoimplante | CRO 35323 | Reabilitação Oral - PUC RJ | Harmonização Orofacial (Membro Sbti) | Especializada em odontologia do Sono.

Comentário em "Implante dentário: o que deve ser levado em consideração para fazer?"

  1. […] poder receber um implante, o paciente precisa ter uma ótima higiene bucal e suporte ósseo suficiente para sustentar o […]

  2. […] caso do enxerto ósseo para implante dentário, o cirurgião dentista tiraria fragmentos do tecido ósseo de um osso saudável do indivíduo para […]

  3. […] procedimento pode ser feito tanto por pacientes que perderam somente um dente quanto por pessoas que perderam mais ou, até […]

Leave comment

Postado em 22 de maio de 2018, por beatrizbritto.