Seja Bem-Vindo a SB Ortoimplante

As etapas do implante dentário: do planejamento à cicatrização

As etapas do implante dentário: do planejamento à cicatrização

Muitas pessoas já ouviram falar dos implantes e de como eles são uma ótima opção para aquelas pessoas que já perderam algum dente e desejam seu belo sorriso de volta. Contudo, esse assunto é complexo: pouca gente sabe explicar profundamente e separar o que é mito do que é verdade. Por isso, neste post vamos explicar as etapas do implante dentário e contar para você um pouco mais sobre o tema.

Ele é considerado por muitos o melhor tratamento para restauração do sorriso, porque está entre os mais estéticos, duráveis e seguros. Por outro lado, não pode ser feito em todas as pessoas e é um procedimento um pouco demorado, podendo durar até 9 meses, já que é dividido em 6 fases.

Submeter-se a essa técnica é um investimento que vai exigir um pouco de paciência, mas o resultado final é maravilhoso. É o mais perto que a odontologia conseguiu chegar de um sorriso natural e, na maioria das vezes, não se nota que é um tipo de prótese.

O que realmente são implantes dentários?

São parafusos de titânio utilizados para preencher o espaço onde ficava a raiz do dente natural. A substituição pode ser de apenas um elemento, de vários, ou de toda a arcada. Aproximadamente 5 implantes podem ser suficientes para sustentar uma prótese total, ou seja, para substituir todos os dentes inferiores, por exemplo.

O tratamento pode ser complicado e depende do estado de saúde do paciente, da sua idade, da quantidade de osso, entre outros fatores. Em alguns casos, pode ser necessário fazer enxerto ósseo, desgaste ou tração de dentes. Para algumas pessoas, o implante pode até se tornar inviável.

Quem pode fazer o procedimento?

Para poder receber um implante, o paciente precisa ter uma ótima higiene bucal e suporte ósseo suficiente para sustentar o parafuso. Muitos pontos precisam ser levados em consideração, por exemplo o desenvolvimento das arcadas dentárias e dos ossos da face.

Só é possível pensar em implantar elementos quando todo o desenvolvimento facial já estiver completo. Crianças não são candidatas, já que o pino pode descolar, ser perdido ou, até mesmo, atrapalhar o desenvolvimento de outros dentes.

Perdas ósseas ou de tecidos de sustentação também tornam a pessoa incapacitada para a intervenção. O implante não conseguirá se fixar, caso não tenha suporte, e poderá se soltar facilmente.

Problemas cardíacos, de sistema imunológico e infecções são outras situações que impossibilitam a colocação do pino. Diabéticos podem ter uma contraindicação relativa caso sua cicatrização esteja comprometida.

Como funciona cada etapa do implante?

Diagnóstico

O primeiro passo é um exame inicial para determinar se esta é a melhor alternativa para o paciente. Depois de concluído que sim, é o momento em que o dentista explica o passo a passo, tira todas as dúvidas com relação ao procedimento e fala sobre as vantagens e desvantagens, preço e possíveis dificuldades ao longo das etapas do implante dentário.

Planejamento

Exames mais específicos de imagem e radiografias são necessários nessa etapa — talvez até alguns exames de sangue para avaliar a saúde do paciente e evitar complicações durante a cirurgia. O profissional fará todo o plano do tratamento e, caso tudo esteja dentro dos conformes, marcará a cirurgia.

Fase cirúrgica

A utilização de anestesia é necessária para evitar desconfortos e incômodos; a duração da operação varia de acordo com o número de implantes, a localização e a complexidade do caso. Deve ocorrer em um ambiente próprio, com utilização de materiais estéreis e pessoas capacitadas.

O osso em questão será perfurado nos locais definidos na fase de planejamento e os parafusos deverão ser ancorados na posição e inclinação corretas. A exatidão garante uma estética muito mais aceitável e bonita.

Cicatrização

Também denominada de osteointegração, é uma das fases mais importantes do tratamento. Consiste no osso ser reconstruído em volta do parafuso, conferindo a ele a estabilidade e a firmeza necessárias para suportar as forças mastigatórias que virão.

Durante esse tempo não poderá haver pressão sobre o implante. Por isso, caso seja necessário colocar uma prótese por razões estéticas, ela deverá ser provisória e não poderá receber forças de mastigação e de oclusão. Isso significa que aquela região perderá a função por um tempo até que esteja bem cicatrizada.

A cooperação do paciente é essencial, tanto em termos de limpeza e alimentação quanto de restrição de cigarro e outras substâncias que possam prejudicar a cicatrização. Inflamações e infecções são capazes de provocar a rejeição do pino.

Protética

Após o período de osseointegração a prótese definitiva será confeccionada e encaixada no implante. Para isso, é necessário abrir o caminho pela gengiva até o parafuso; é uma cirurgia simples e com menos riscos que a primeira.

A cicatrização se restringe à parte gengival, é muito mais rápida e garante um sucesso maior esteticamente. O novo elemento dental já deve estar na cor, tamanho e formato ideais para ser encaixado sem muitos ajustes necessários. Um teste de oclusão fecha essa sessão para garantir que a mastigação e a fala sejam feitas da melhor forma possível e sem interferências.

Acompanhamento e manutenção

Para garantir o sucesso do tratamento a longo prazo é preciso fazer uma boa manutenção e permanecer no acompanhamento periódico com o dentista. A higiene é um dos principais pontos a serem lembrados; acúmulo de placa causa inflamação na gengiva e isso pode levar à perda de tecidos de suporte, com possível condenação do implante a longo prazo.

Compressas de água fria e comidas leves e pastosas são opções ótimas para diminuir inchaço, sangramento e incomodo no pós-operatório. A limpeza profissional da prótese é essencial para garantir a longevidade do tratamento. Por isso, não deixe de ir aos retornos semestrais com seu dentista.

É preciso uma boa comunicação entre profissional e paciente para a obtenção de resultados satisfatórios. Da mesma maneira, deve-se respeitar as indicações pós cirúrgicas dadas pelo dentista a fim de garantir que o implante tenha uma boa durabilidade.

Você percebeu como esse tratamento é complexo? Aprendeu tudo o que precisava sobre as etapas do implante dentário? Se ainda tem alguma dúvida ou acha que essa abordagem pode ser indicada para você, entre em contato conosco!

Compartilhar:

Leave comment